A cardiomiopatia hipertrófica (CMH) é um tipo de doença cardíaca, caracterizada por espessamento anormal do músculo cardíaco (miocárdio). Ela afeta a capacidade do coração bombear o sangue. Dê uma olhada nos detalhes.
0

Cardiomiopatia Hipertrófica

Entre as doenças cardíacas diferentes, a cardiomiopatia hipertrófica (CMH) é uma desordem genética complexa. É também referida como estenose hipertrófica idiopática subaórtica (EHIS), miocardiopatia hipertrófica obstrutiva (MHO) ou hipertrofia septal assimétrica (HSA). A cardiomiopatia é uma doença do músculo cardíaco. Existem quatro tipos principais de cardiomiopatia dilatada, tais como, restritiva, arritmogênica do ventrículo direito e cardiomiopatia hipertrófica. Na cardiomiopatia hipertrófica, há espessamento anormal do músculo cardíaco (miocárdio), o que significa que o músculo fica hipertrofiado, o que torna difícil para o coração bombear o sangue. CMH também provoca rigidez do ventrículo esquerdo, bem como provoca alterações anormais nas células musculares e de válvula mitral. O sistema eléctrico do coração também é danificado por esta doença. Isto pode aumentar o risco de batimentos cardíacos anormais (arritmias) e morte súbita, em casos raros. CMH causa sintomas como dor no peito, falta de ar, tontura, etc..

Sinais e Sintomas

Pessoas com espessamento muscular leve podem não apresentar quaisquer sintomas. Em alguns casos, a CMH evolui e afeta a função cardíaca. A gravidade dos sintomas pode variar de indivíduo para indivíduo. Alguns dos possíveis sinais e sintomas de CMH são falta de ar com esforço e dor no peito (angina), que ocorre com a atividade física ou exercício, fadiga, síncope ou desmaio causados por ritmos cardíacos irregulares, tonturas, vertigens e palpitações devido a arritmias. Ela também pode levar à pressão alta (hipertensão), ataque cardíaco e / ou morte súbita cardíaca. CMH é uma das principais causas de morte em atletas jovens.

Causas

A cardiomiopatia hipertrófica é uma doença rara que afeta 1 de cada 500 pessoas. Uma vez que é uma doença hereditária, é causada principalmente por mutações genéticas. Anormalidade no gene de estimulação das proteínas, chamadas de sarcoméricas proteínas contrácteis, leva a um crescimento anormal das fibras musculares do coração. Uma pessoa com um gene defeituoso ou história familiar de CMH está em um risco maior de desenvolver esta doença. No entanto, algumas pessoas com gene defeituoso por CMH não desenvolvem esta doença. Em alguns casos, CMH pode resultar de envelhecimento ou  pressão sanguínea elevada.

Diagnóstico

O diagnóstico de CMH é feito com base de exames físicos e várias investigações. O primeiro, médico revê a história familiar e médica do paciente. No exame físico, o médico verifica a existência de sons cardíacos anormais ou sopro usando um estetoscópio. Diferentes testes são realizados para diagnosticar o espessamento anormal dos músculos do coração, insuficiência mitral ou problemas com o fluxo sanguíneo. Alguns  testes comuns utilizados para o diagnóstico da CMH são 24 horas Holter, ECG, radiografia de tórax, cateterismo cardíaco, ressonância magnética cardíaca, ecocardiografia com Doppler ultra-sonografia e ecocardiograma transesofágico (ETE). Os testes genéticos são realizados para detectar gene anormal (s).

Tratamento

Não há cura para CMH. O tratamento visa aliviar os sintomas e prevenir complicações. Algumas pessoas necessitam de hospitalização, até que a condição esteja estabilizada. Várias opções de tratamento incluem medicamentos, marcapassos especializados e, às vezes, até mesmo cirurgia. Drogas como bloqueadores dos canais de cálcio, beta-bloqueadores ou anti-arrítmicos medicamentos são prescritos, que relaxam os músculos do coração e melhoram o funcionamento do coração.

Pacemaker é inserido sob a pele, que envia sinais elétricos ao coração a fim de monitorar e regular os batimentos cardíacos. Cardioversor-desfibrilador implantável (CDI) é implantado no peito para monitorar os batimentos cardíacos. Também ajuda a restaurar um ritmo normal do coração, entregando pequenos choques elétricos.

Miectomia septal é uma cirurgia de coração aberta, em que uma anormalmente crescida parede do músculo do coração espessada é removida. Isso melhora o fluxo sanguíneo e regurgitação mitral minimiza. Ablação septal é a opção mais recente de tratamento, em que o álcool é injectado através de um cateter para destruir uma pequena parte do músculo espessado.

Cardiomiopatia com hipertensão é uma doença cardíaca fatal e se for diagnosticada precocemente, pode procurar imediatamente tratamento médico adequado, a fim de evitar suas complicações perigosas. Além disso, tente evitar exercícios extenuantes e esforço excessivo para manter a saúde do coração.

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *