Tipos de bactérias na urina

Enquanto a presença de alguns tipos de bactérias na urina é considerado normal, outras estirpes são indicativos de infecções. As estirpes bacterianas na urina são identificados por um procedimento de laboratório chamado cultura de urina e teste de sensibilidade.

Mesmo que a urina seja um produto residual, ela é um líquido estéril livre de micróbios e de produtos químicos tóxicos. O ingrediente principal é a água, seguido por uréia, hormônios, enzimas, sais e outros minerais. De acordo com defensores da urinoterapia, possui propriedades cicatrizantes, anti-sépticas e antimicrobianas. No entanto, as infecções bacterianas estão presentes no trato urinário (em qualquer lugar nos rins, bexiga e uretra) e na pele fora  da uretra. Presença de bactérias é testada com a ajuda de teste da cultura de urina.

Cultura de urina e teste de sensibilidade

Testes da cultura de urina são realizados para identificar tipos de bactérias, leveduras e outros micróbios presentes numa amostra de urina. Neste procedimento, uma gota de amostra de urina (recolhido no frasco estéril) é posta sobre uma placa de ágar e a placa fica guardada num lugar com condições controladas para promover o crescimento de micróbios. Se as bactérias estão presentes, eles formam colônias no meio nutriente de agar dentro de 1 a 2 dias. Embora cor, forma e tamanho das colónias sejam utilizados para identificar o tipo de bactérias, o que indica o nível de contaminação é o número de organismos vivos numa colónia.

Tipos de bactérias encontradas na urina

Na interpretação de exame de urina, a maior atenção é dada ao tipo de bactéria predominante. Mas, também há casos, em que dois ou mais tipos de bactérias estão presentes na placa de ágar. Se este for o seu resultado significará a infecção por mais de um agente patogénico. As vezes infecção bactérial do trato urinário é assintomática. Durante a gravidez, a presença de bactérias na urina é um problema comum. Apresentamos abaixo alguns tipos comuns de bactérias na urina.

Escherichia coli
No corpo humano, a E. coli é encontrado na secção inferior do tracto intestinal. Esta bactéria gram negativa é excretada pelas fezes no momento da evacuação. Na falta de higiéne é muito provavel que a E. coli da matéria fecal vá diretamente para a uretra subindo assim para cima no trato urinário. Em condições favoráveis esta bactéria se divide rapidamente, resultando em infecção do trato urinário. Qualquer parte do trato urinário pode ser infectado por esta bactéria, pois é ela que provoca infecção nos rins (pielonefrite), infecção da bexiga (cistite) e infecção da uretra (uretrite).

Enterococcus faecalis
Este é um dos tipos mais comuns de bactérias presentes na urina. Uma bactéria gram-positiva, encontra-se no tracto gastrointestinal em pessoas saudáveis. Entra no trato urinário da mesma forma que Escherichia coli, é caracterizada por multiplicação descontrolada e pode causar infecções sérias no trato urinário. Alem de infetar este último, a bactéria Enterococcus faecalis é capaz de infectar sangue, região pélvica e feridas abertas. Infecções causadas por este tipo de bactéria são difíceis de tratar, como o agente patogénico causador é resistente aos antibióticos frequentemente receitados, incluindo penicilina.

Klebsiella pneumoniae
Outro tipo de bactérias da urina é K. pneumoniae. Como o nome sugere, é responsável por causar pneumonia. Esta bactéria coloniza a pele, a faringe, o trato gastrointestinal, os pulmões e as ferídas pós-operatórias. Infecção do trato urinário por esta bactéria gram-negativa é habitualmente relatada em crianças, em idosos e em pessoas com sistema imunológico enfraquecido. O diagnóstico e tratamento desta infecção bacteriana é cruciail, porque o agente patogénico não é sensível a alguns antibióticos.

As bactérias do tipo Proteus
Espécies de Proteus, juntamente com E. coli, Klebsiella e outras cepas de bactérias compõem a flora do trato intestinal. Infecção por Proteus é causada quando as bactérias gram-negativas (especialmente P. mirabilis) que estão presentes em ambos os intestinos encontram o caminho para bexiga e uretra. Em pacientes com infecção por Proteus, a amostra de urina é mais escura, alcalina e tem o mal cheiro. Por vezes, as células sanguíneas estão presentes na urina (hematúria), e o paciente tem a sensação de ardor durante a micção, juntamente com uma frequente vontade de urinar.

As bactérias Lactobacillus
Esta cepa de bactérias gram-positivas está presente no tracto gastrointestinal (TGI), no tracto urinário e na vagina em mulheres. Cria um ambiente ácido através da produção de ácido láctico, tornando assim a área da sua proliferação desfavorável para o crescimento de outros micróbios prejudiciais. Por isso, encontrada na amostra de urina em associação simbiótica com alguns outros representantes de flora intestinal em quantidades vestigiais não é uma preocupação. No entanto, a multiplicação rápida desta bactéria não é um bom sinal e indica infecções.

Geralmente, as mulheres são mais vulneráveis a infecções urinárias do que os homens. As razões são: a abertura da uretra, proximidade de ânus e a uretra mais curta. As bactérias da pele, da vagina ou do reto podem subir pela uretra e acumular-se no trato urinário. De certeza, alguns delas serão excretados através da urina, mas outras poderão provocar problemas. Conforme a interpretação da análise da urína e determinação de tipos de bactérias, o urologista vai sugerir terapia antibacteriana para o paciente.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>