Histerectomia, uma cirurgia realizada na mulher para remover o útero, tem muitos efeitos posteriores. Para saber mais sobre algumas das complicações dessa cirurgia, continue lendo.
14

Complicações da histerectomia

A histerectomia é a remoção cirúrgica do útero ou ventre. Mas não é tão simples como parece nesta definição. De acordo com a pesquisa feita pela fundação HERS e Associação histerectomia, tem conseqüências de longo alcance, não apenas no corpo de uma mulher, mas também em seu aspecto psicológico como um todo. A estatística mais reveladora em sua pesquisa nos diz que após a cirurgia, 58% das mulheres são incapazes de retornar às suas atividades de trabalho anteriores e cerca de 43% são incapazes de voltar a trabalhar em tudo. Agora, que é uma causa de preocupação! As complicações começam mesmo antes da cirurgia.

Complicações da Histerectomia

Um relatório recentemente publicado pela Obstetrícia e Ginecologia pontos fora um fato amargo que os sintomas de nove em cada 12 histerectomias não atendem  às orientações definidas pelo Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas para exigir o procedimento. A histerectomia é por vezes erradamente recomendada ou até mesmo muitas mulheres desnecessariamente se submetem ao procedimento quando podem obter isenção de procedimentos alternativos, como a embolização das artérias uterinas, a miomectomia por cirurgia a laser, ablação endometrial ou eletrocautério loop, para os casos de Papanicolaou anormal. Isto é chamado um ‘cirurgia electiva’, uma vez que não é realizada como um requisito de emergência. É, principalmente, realizada nos casos de câncer uterino, miomas uterinos, sangramento vaginal persistente (menorragia), endometriose, dor pélvica crônica durante o útero, a menstruação prolapso, etc.. Você tem que garantir a necessidade da cirurgia de um médico especialista.

A histerectomia mais comum é realizada através de um corte na parte inferior do abdômen. Por outro lado, a forma menos comum é a remoção do útero apenas através de um corte na parte superior da vagina, após o que a parte superior da vagina é costurada. Durante a cirurgia, o anestésico geral é utilizado o que pode conduzir a reacções alérgicas e algum dano do nervo menor. Perda excessiva de sangue pode acontecer, assim, que exige a necessidade de transfusão de sangue. Além disso, existe um risco de infecção do tracto urinário, a infecção vaginal ou no peito. O risco mais grave é a lesão da bexiga  o que pode acontecer durante a incisão do abdômen. Ela  é chamada de incisão “cega” como o cirurgião não pode ver os órgãos subjacentes. Mesmo se a lesão for impedida, o risco de incontinência urinária ou necessidade freqüente de urinar existe após a maioria das histerectomias. Além disso, a Associação Histerectomia esclarece que se uma mulher sofre a cirurgia, mas deixa seus ovários no lugar, ela tem 50% de chance de sofrer falência ovariana dentro de 5 anos de cirurgia.

Complicações pós-cirurgia

Não importa o grau de sucesso da cirurgia é, uma mulher tem de lidar com algumas complicações. Como uma mulher reage às mudanças físicas têm uma grande influência sobre sua aceitação psicológica da mudança. Você tem que aceitar o fato de que você não vai mais ser capaz de dar à luz, e há uma chance de 50% da menopausa dentro de cinco anos da cirurgia, independentemente da sua idade. Se a cirurgia é envolvido ooforectomia(Cirurgia de remoção dos ovários), menopausa, em seguida, começará imediatamente após a cirurgia. Mesmo menopausa normal provoca alterações de humor diversos que levam à depressão, ansiedade e irritabilidade. Assim, uma ocorrência súbita da menopausa pode ser emocionalmente perturbadora. As outras complicações são dadas abaixo.

  • Por cerca de seis semanas da cirurgia, o risco de coágulos sanguíneos é elevado  nas veias grandes da perna e pulmões. Os contraceptivos orais e medicamentos de reposição hormonal aumentar ainda mais esse risco. Muitas mulheres experiência explosão de sangramento dentro de duas a três semanas da cirurgia.
  • Para além da incontinência urinária, como descrito acima, retenção urinária (Incapacidade de urinar) é visto principalmente com as mulheres que sofreram histerectomia vaginal. Mesmo, a constipação é uma ocorrência freqüente, dado o efeito direto sobre os movimentos intestinais.
  • Se os ovários são removidos, em seguida, vasto alterações hormonais ocorrer com os níveis hormonais reduzidos, levando a perda de densidade óssea, fraqueza do assoalho pélvico e músculos vaginais, e aumento do risco de um ataque cardíaco.
  • A vida sexual é diretamente afetada  com a diminuição ou ausência do desejo sexual para as preliminares e relações sexuais ou perda do orgasmo. Além disso, a sensação no clitóris e lábios vaginais é diminuída.
  • Redução nos níveis de energia se manifesta com fadiga profunda, perda de resistência e ganho de peso eventual juntamente com dor nas costas, dores musculares, rigidez, dormência e formigamento nas mãos, braços e pernas.
  • A fundação de pesquisa HERS denota que o principal efeito após o mudança de personalidade em mulheres que leva  a dificuldade em socializar, perda de memória a curto prazo, com rastejando ataques de nervosismo e dor de cabeça.

Tais complicações são muito dependentes do tipo de cirurgia realizada (cirurgia aberta requer incisões maiores e uma cirurgia laparoscópica é feito com incisões menores) e se envolve histerectomia total ou parcial. É inteiramente até a mulher como ela lida com os efeitos colaterais  como podem apresentar consequências generalizadas para ela na frente social e pessoal.

14

14 thoughts on “Complicações da histerectomia

  1. Selma Andrade on

    Olá fiz uma histerectomia total a 25 dias.Tinha três miomas uterinos…Sangrava muito e tinha muitas cólicas abdominais.Estou me sentindo bem ,mas quando vou ao banheiro está saindo um pouco de sangue.Tive um corrimento amarelo que já melhorou…Mas o pequeno sangramento não para.E normal ?

  2. Rosângela soler on

    Quatro anos de cirurgia e não tenho sensibilidade na barriga e não cicatrizou direito superficialmente, é normal?

  3. Ana maria on

    Boa tarde, tenho 48 ano e fiz dia 9 de maio, do corrente ano, histerectomia total com remoção dos dois ovários. Devido a um mioma de 3.5cm sentia dores pélvicas, abdominais e todos os meses apareciam coágulos no meu período. Apesar de aconselhada pela médica, resisti durante dois anos à operação, mas no fim desse tempo dei-me como vencida e avancei para a histerectomia. Já passaram quase quatro meses e posso dizer que foi a melhor decisão que tomei, pois no relatório pós operação estava escrito que também tinha endometriose na trompa esquerda, que só veio a ser descoberto depois da operação. Agora voltei a ser a pessoa que sempre fui, pois apesar de ter imediatamente entrado na menopausa não estou a tomar nada porque os sintomas(calores) são quase inexistentes. Se soubesse o que sei hoje, já tinha sido operada há dois anos atrás.

  4. Cristiane oliveira on

    Olá…eu fiz histerectomia total no dia 5 de Maio e no mesmo dia parei de sangrar ,pois eu tinha várias hemorragias por conta de um mioma uterino. Minha ginecologista me fez tomar remedios por 5 anos dizendo que o anticoncepcional ia fazer ele diminuir.mentira!!!
    Ele cresceu e eu tive que tirar o útero. A minha sorte é q eu já tinha dois filhos e não queria mais filho. Hoje estou super bem,não sinto mais nada e estou vivendo minha vida super normal. Recomendo para quem tem medo de operar e q esteja passando pelo wue eu passei.

  5. Roberta Cristina on

    Eu fiz essa cirurgia parcial a 1 ano e 6 meses e sempre no final do mês eu sangro uns 4 dias seguidos.. não é poko que sangro não.
    Marquei umas 4 vezes pra passar no ginecologista..mas ele não vai..
    Eu saio da minha cidade pra ir consultar em outra cidade e o médico não vai..
    Minha situação está piorando e não sei se é normal cont com esse sangramento sempre pois já faz mais de um ano Que fiz histerectomia e eu só tenho 32 anos de idade.
    Sinto dores abdominais
    O que pode ser?

    • Line on

      É bom vc procurar o médico, pois depois dessa cirurgia não há mais sangramento.

    • Cris on

      Desculpe não pude deixar de comentar porque essas informações fazem qualquer pessoa temer essa cirurgia e não é esse terror todo que está postado aqui. Temos que pesquisar vários sites para não temer um procedimento que cada dia se torna mais confiável. Fiz esse procedimento e só tenho boas coisas para declarar, me fez um bem tremendo. No caso de histerectomia parcial, ocorre sim sangramento porque precisa verificar o que foi removido. Só não há sangramento se houver a retirada do útero, colo do útero e trompas. Verifique qual procedimento foi feito.

    • Cristina on

      Lamentável como alguns médicos ainda fazem histerectomia parcial. E lamento mas quem diz que não sangra mais na histercetomia parcial está completamente enganado. A histerectomia parcial não é feita a retirada do colo do útero o que leva a ter sangramentos SIM. Se o colo uterino e o útero são retirados não há sangramento. Mulheres, por favor, a internet abrange muitos sites e nem todos informam o que é certo. Ainda por cima deixam a gente com mais medo ainda. Se operar e não se cuidar também pode ser prejudicial aí não culpem o procedimento cirúrgico. Mas pesquisei com todos os médicos que tive contato e confirmaram que a histerectomia parcial sangra sim. Algumas mulheres sangram todo mês e outras sangram menos. Se você entrar aqui e ler isso não deixe seu médico deixar seu colo uterino, os ovários são necessários preservar se o problema não está no ovário, mas se forem tirar o útero exijam a retirada das trompas e colo uterino também. Que adianta não ter mais útero e não poder gerar mais filhos e ainda sangrar?

  6. Roseli Furtunato on

    É normal depois de 15 dias sair um corrimento meio amarelo e com mau cheiro, é pouco mais todos as vezes que vou fazer xixi sai, é normal

    • Cris on

      Sim é normal pois o corpo ainda está liberando os resíduos da cirurgia. Algumas mulheres ficam mais tempo liberando secreção e até mesmo sangue em pequena quantidade. Após 45 dias é necessário retornar ao médico para avaliar suas condições e se você não está abusando e nem pegando peso é normal sim em pouca quantidade.

    • Ana Maria on

      Um cheiro horrivel e de cor castanho escuro, não, isso não é normal. Isso é certamente uma infeção. Comigo aconteceu exatamente o mesmo e fui ao hospital. Deram-me um antibiótico para tomar durante 8 dias.No fim de 3 dias o problema já estava resolvido, mas continuei a tomar até ao 8º dia conform indicação da médica.

      • Cristina on

        Qual antibiótico você usou? Para mim só indicaram pomada e realmente é uma infecção. Grata se puder informar o nome do antibiótico.

  7. mildes marques de oliveira on

    É normal o corte de uma cirurgia para retirada dos ovarios sangrar apos três dias?

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *